Cursos técnicos ganham força em todo País

21/05/2011 12:22

 De acordo com o Censo da Educação Básica - Inep/MEC, o Brasil possuía 1,14 milhão de estudantes matriculados em cursos técnicos em 2010, o que representa um crescimento de 72% desde 2002.

     "Esse crescimento pode estar atrelado às vantagens que a modalidade vem oferecendo: altos índices de empregabilidade, rápida absorção pelas empresas e menor duração dos cursos", explica a Secretaria de Educação Profissional do MEC (Ministério da Educação).

Profissionalizante
     Pesquisa da FGV (Fundação Getulio Vargas) chamada 'A Educação Profissional e Você no Mercado de Trabalho' apontou que a formação técnica aumenta em 48% as chances de um indivíduo em idade ativa ingressar no mercado de trabalho.

     O estudo também constatou que os salários daqueles que têm um curso profissionalizante são até 12,94% mais altos e é de 38% a probabilidade de se conseguir um trabalho com carteira assinada, em confronto com candidatos com escolaridade inferior.

     Pelos dados do MEC, o índice de empregabilidade dos técnicos de nível médio formados de 2003 a 2007 pelas unidades da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, por exemplo, é de 72%.

Profissionais
     O estudante de relações internacionais Alexandre Oliveira, 23, se capacitou em um curso de curta duração na área de tecnologia da informação. Com apenas um ano de aulas, ele já havia conseguido trabalho.

     "Precisava de um curso rápido que me inserisse no mercado de trabalho. Como sempre gostei de computação, não pensei muito e corri para a área de TI. Assim como eu, os colegas de curso também conseguiram trabalho", afirma o estudante.

     Mesmo tendo "abandonado" o segmento técnico, Oliveira ainda contabiliza os ganhos de seu aprendizado. "Tudo o que aprendi no curso está guardado comigo. Quando mais precisei de um trabalho, a capacitação técnica me ajudou", descreve.

O curso
     O curso escolhido por Oliveira está entre os dez profissionalizantes mais procurados, de acordo com dados do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

     Agropecuária, informática, edificações, eletrotécnica, mecânica, eletrônica, química, segurança do trabalho, administração e eletromecânica compõe essa lista.

Abrangência
     Se levados em conta dados do ano passado, o Brasil contava com 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia presentes em todos os estados do País.

     Desde dezembro de 2008, esses institutos passaram a abranger 31 Centros Federais de Educação Tecnológica, 75 Unidades Descentralizadas de Ensino, 39 escolas agrotécnicas, sete escolas técnicas federais e oito escolas vinculadas a universidades.

     Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia oferecem cursos técnicos, superiores de tecnologia, licenciaturas, mestrado e doutorado.

Fonte: Correio do Estado